A Black Friday diz que o frete é grátis e que o produto é dividido em 24 meses sem juros. A carneirada entra na onda do supérfluo, cai dentro e compra sem precisar. Diz que é tudo uma maravilha nos preços. A Justiça Eleitoral faz a propaganda de que seu voto vai tudo mudar. O político fala do tudo pelo social, com a promessa de dias melhores.

A impressão que se tem é que o povo brasileiro adora mesmo é ser enganado e acredita em fake news, que a terra é plana, que o cara foi eleito por Deus. Isso só pode ser masoquismo. Como diz a canção, tudo muda para ficar em seu lugar. As propagandas na mídia estão cheias de enganação. O sistema é assim, constituído para encher a pança dos mais ricos na acumulação de bens.

Há séculos que o povo brasileiro é enganado, e basta chegar a época das eleições para começarem as enxurradas de mentiras. A lista de enganação é extensa porque a nossa população, a maioria inculta e iletrada, é uma presa fácil. Você acredita que todos são iguais neste Brasil? Que não existe racismo, e que somos todos solidários? Que a flexibilização segue os protocolos, quando a fiscalização é deficitária?

Quando arquitetaram a reforma trabalhista, os patrões do capital disseram que ela iria abrir mais vagas no mercado. O desemprego aumentou; acabou a negociação salarial; o rendimento do trabalhador caiu; a informalidade subiu e a reforma se transformou numa escravidão moderna onde o funcionário, chamado de colaborador (outra enganação), é explorado sem piedade.

Os termos mudam para se dizer que está havendo uma evolução. Tiraram o subdesenvolvido e colocaram o emergente que se afundou. A Secretaria de Transportes é agora de Mobilidade. Mas tudo continua ainda pior. A palavra mais em moda nos tempos atuais é resiliência, mas como ter se não lhe é dada a oportunidade para vencer, quando se joga a meritocracia no lixo.

Somos enganados em tudo. É como uma embalagem bonita, colorida e chamativa num produto sem conteúdo. Tudo porque deixamos nos iludir pela emoção do momento, e caímos no conto do vigário. Somos vítimas do estelionato e da falsidade ideológica em todos setores, a começar pela política. O preto pode se tornar branco, e o vermelho em verde.

Tudo que acontece de mal e ruim colocamos Deus no meio para resolver as pendengas. O homem predador destrói o planeta, e o fanático diz que é Deus que assim quis. O fiel acredita em tudo que o pastor fala, até que o caroço de um feijão cura a Covid. Tem uma outra canção que diz que é preciso morrer para poder viver.

E assim continuamos vivos-mortos, sendo o tempo todo enganados pelos mais astutos e mentirosos. Não passamos de uma manada conduzida pelo boiadeiro para o matadouro. Somos todos os dias enganados por esse emaranhado de leis, cheias de brechas que só servem para a elite. Está aí o consumismo desvairado e irracional que cada vez mais detona o nosso meio-ambiente.

Você acredita nessas reuniões do clima entre o capitalismo, que promete reduzir o metano e o dióxido de carbono no ar, mas com suas metas de cada vez mais aumentar o Produto Interno Bruto do seu país? Só uma coisa é certa, que a destruição do planeta não tem volta.