Mais um tremendo estrago na imagem do nosso Brasil, com um monte de falácias, distorções nas informações, mentiras, negacionismo da ciência e contaminação da Covid-19, deixando o mundo estarrecido. Assim foi a segunda invasão de bárbaros em Nova Yorque e na ONU (a primeira foi em 2019).

Sinceramente, é um desgaste de tempo se for elencar as barbaridades, pois já foram estampadas por toda a nossa aldeia chamada terra que hoje está conectada entre todos os cantos através das redes sociais da internet. Entendo que a esta altura até os seguidores, os chamados fantasmas que saíram dos macabros armários, do capitão-presidente ficaram estarrecidos, mas nunca vão dar o braço a torcer.

Foi um torrencial de contradições que superaram as ideias e os pensamentos mais atrasados e retrógrados da Idade Média. Quem é este cara que fala de família e tem uma desajustada e corrupta, especializada em “rachadinhas”, sem contar o alinhamento com os milicianos matadores do Rio de Janeiro?

Que é este que fala em liberdade e democracia, e mobiliza seus apoiadores nas ruas para pregar a volta da ditadura, com o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal? Quem é este que desmoraliza nossa medicina dizendo que o Conselho Federal da categoria recomenda o tratamento preventivo do vírus com a adoção do medicamento cloroquina?

Quem é este que com sua turma invade Nova Yorque e a ONU, sem máscaras, para contestar as recomendações científicas mundiais de combate à pandemia? Quem é este que comanda uma caravana de doidivanas onde um médico ministro da Saúde joga seu juramento no lixo e ainda faz gestos obscenos contra uma manifestação pacífica de oposição?

Ele, o ministro, deveria se envergonhar pela sua idade e pela sua posição, mais ainda por ter sido contaminado por mera negligência médica. Que ministro da Saúde nos temos! Que vergonha! Perdoai, Senhor, porque eles não sabem o que fazem e o que dizem! Quem é este que fala em nome de Deus e atenta contra a vida de milhões de brasileiros que choram as perdas de quase 600 mil almas porque as vacinas chegaram atrasadas?

Como defender o indefensável diante de tantos paradoxos e barbaridades, com dados falsos, truncados e deturpados, tentando enganar investidores, como se fossem totalmente desinformados da atual situação econômica e social do nosso país? Será que os grandes empresários de hoje ficaram loucos ao ponto de rasgar dinheiro? Quem é este que ultraja a nossa nação? Como reconstruir toda essa imagem enxovalhada no exterior? Como recuperar o nosso meio ambiente devastado pelos desmatamentos e queimadas?

Depois de todas essas cenas de comedores de pizzas e churrascos nas ruas, com máscaras nos pescoços, como me orgulhar do meu país?  São esses os nossos diletos representantes, ou seres estranhos de outro planeta? Quem são esses bárbaros que tanto repetem as palavras pátria, família e tradição, e tanto fazem para nos negar o conhecimento e o saber?