Autor Erathósthenes Menezes, do livro “O Poeta do Mulungu”

Obra resgatada pelo professor Durval Menezes

Aqui, a dor a lancinar, fremente,

Um triste peito, aflito, suspirando,

Além um outro a delirar, contente,

Tendo de amores a alma transbordando.

 

Aqui, um Creso a rir, indiferente,

Tendo um sabor de glórias, ouro e mando,

Além, um outro, da ventura ausente,

Roto, na rua, triste, mendigando.

 

Num lar, festas, um mundo de esperança,

Já noutro lar a brusca morte lança,

O dardo agudo, cheio de terror.

 

É passageira, pois, e indefinida,

Esta balbúrdia que se chama vida

Em que se enlaçam a alegria e a dor.

Conquista, 22 de agosto de 1981