outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

:: ‘Notícias’

LIVRO SERÁ LANÇADO NO DIA 31

O livro “UMA CONQUISTA CASSADA”, do jornalista Jeremias Macário tem data marcada para ser lançado no próximo dia 31, às 20 horas, na livraria Nobel, na avenida Otávio Santos, 207, centro, em Vitória da Conquista. Já em agosto, no dia 26 a obra será apresentada numa sessão da Assembléia Legislativa, em Salvador. Antes disso, no mesmo mês haverá um registro do trabalho do jornalista na Câmara Municipal dos Vereadores de Vitória da Conquista.

O CHORO DO CAPITÃO – Carlos Gonzalez – jornalista

Se ainda resta a Tiago Melo um pouco de dignidade, ele deve passar a um companheiro a braçadeira de capitão da seleção brasileira. A sua reação antes da cobrança dos pênaltis contra o Chile (chorar compulsivamente, afastar-se dos demais jogadores e pedir para não fazer parte da lista de cobradores dos tiros livres) foi vergonhosa, podendo ser comparada ao do comandante do transatlântico Costa Concordia, que naufragou no Mediterrâneo, em janeiro de 2012, o italiano Francesco Schettino, flagrado abandonando a embarcação antes dos passageiros.

Outros jogadores se deixaram contaminar pelas lágrimas de Tiago, como o veterano goleiro Júlio César e o atacante Neymar, novo censor da imprensa – acaba de suspender, através de medida judicial, a circulação da “Playboy”, por estampar fotos nuas de uma  ex-namorada. O jogador do Paris Saint Germain não fez jus a alguns zagueiros que exerceram o posto no passado, como Bellini, Mauro e Carlos Alberto.

Crítico da psicologia no campo esportivo, o técnico Felipão fugiu um pouco do estilo indelicado que o caracteriza, e concordou em convocar um profissional especializado e colocar os seus jogadores no divã. Na verdade, eles estão preocupados em perder o “bicho” de R$ 1,1 milhão, uma das preocupações do Tiago Melo antes da Copa.

:: LEIA MAIS »

EM BREVE “UMA CONQUISTA CASSADA”

SÃO JOÃO E LIVRO 036 - Cópia - Cópia

A neblina cobria a Serra do Periperi naquela manhã do dia seis de maio de 1964. Aos poucos a cerração invadia a cidade de cerca de 50 mil habitantes. O vento frio anunciava um inverno de baixas temperaturas. Os moradores despertavam ainda sonolentos de seus cobertores para as tarefas de rotina.

Era para ser um dia como outro qualquer, mas não foi isso que ocorreu. Depois de uma cansativa viagem do dia anterior, 100 homens fardados vindos da capital, sob o comando do capitão Antônio Bendochi Alves Filho, estavam prontos para a repressão.

Armados de fuzis e metralhadoras, o centro e pontos estratégicos da cidade foram cercados pelos militares. A ordem era encurralar e prender os “subversivos comunistas”.

Está história está no livro “Uma Conquista Cassada”, de autoria do jornalista Jeremias Macário, que será lançado brevemente em Vitória da Conquista. A obra, de mais de 400 páginas, marca os 50 anos da entrada das tropas na cidade e foi impressa pela Gráfica da Bahia através da Assembleia Legislativa por intermédio do deputado estadual Jean Fabrício, do PC do B.

:: LEIA MAIS »

É O FORRO DO PERIPERI !!!

Mais de dez mil pessoas participaram da abertura do Forró do Periperi, no Espaço Cultural Glauber Rocha, inaugurado no último dia 18 pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista. Dá gosto pra ser ver a área com uma estrutura que valoriza o bairro Brasil no lado oeste da cidade. O espaço conta com sala de imprensa, segurança (Corpo de Bombeiros), banheiros, barracas padronizadas, atendimento médico e, é claro, um palco para o forró pé de serra que é o mais genuíno e autêntico da Bahia.

SÃO JOÃO E LIVRO 001 - Cópia

Estive lá e gostei do que vi, mesmo porque, o São João que vinha sendo realizado todos os anos na Praça Barão do Rio Branco não comportava mais tanta gente que apreciava a tradição junina com raízes culturais da terra nordestina desde o final dos anos 90. Dentro do Espaço Glauber Rocha foi montada uma área representativa dos folguedos de São João, com direito a capelinha, casas típicas da região e uma grande radiola girando um vinil.

A administração do prefeito Guilherme Menezes está de parabéns com a obra que já pode ser considerada como o maior espaço de eventos da cidade. O secretário de Cultura Nagib fez algumas pontuações sobre a importância do espaço e prometeu mais melhorias, como no âmbito da iluminação. Sempre tenho dito que Conquista carece de grandes projetos do tamanho da cidade, a terceira maior da Bahia.

 Estive lá na abertura e gostei do que vi, principalmente no que toca a organização. Depois peguei a estrada para visitar mais uma vez o São João de Senhor do Bonfim, Juazeiro, Petrolina e Piritiba, minha terra querida que também faz uma festa  com as pegadas nordestina. Mais uma vez é o prefeito Ivan Cedraz que comanda a animação pé de serra com cantores e compositores locais.  

 

SÃO JOÃO LAMBADA

É o que sempre venho dizendo, os prefeitos e o poder público em geral estão acabando com a tradição do São João, para agradar interesses próprios e de bandas e cantores que sustentam seus sucessos através dos jabás. A argumentação é sempre a mesma: esses conjuntos de lambadas, funks e arrochas atraem mais público e geram mais rendas para as cidades. Isto é propaganda enganosa e traição à nossa cultura de raiz.

SÃO JOÃO E LIVRO 023 - Cópia

Viajei nestes dias juninos para Senhor do Bonfim, Juazeiro e Piritiba, esta última minha terra querida onde sempre estou neste período festivo de São João. Confesso que não é mais a mesma festa de antigamente. Neste ano fiquei decepcionado com o que vi e escutei na noite de 23 para 24 de junho. Conversei com muita gente que teve a mesma opinião. Foi o pior que participei.

Na noite de 23 tinha todos os ritmos, menos o pé de será autêntico anunciado pela Prefeitura Municipal de Piritiba. Tinha bandas de  lambada, tipo sertanejo, arrocha e até funk. Para se ter uma ideia, o cantor Pablo, do arrocha, segundo comentários de moradores e visitantes, foi uma das  maiores atrações do São João, mas não podemos negar que se apresentaram alguns pés de serra, mas, minoria.

SÃO JOÃO E LIVRO 022 - Cópia

É uma pena que esta cultura nordestina, uma mistura européia, dos colonizadores e do nosso povo esteja cada vez mais sendo descaracterizada. A mídia também tem a sua parcela de culpa porque sempre destaca as “grandes atrações” fora do ritmo verdadeiro do São João, sem contar que os talentos da região ficam relegados a segundo plano. “As estrelas” do axé nesta época viram forrozeiros e dizem que amam a festa.

 

 

ESTÃO ACABANDO COM O SÃO JOÃO

Reza a história da Igreja Católica que Isabel, prima de Maria, acendeu uma fogueira em sua porta para anunciar o nascimento de João Batista, primo de Cristo. Já na fase adulta, o rei Herodes mandou decepar a cabeça de João a pedido de uma mulher. Bem antes disso, os povos celtas festejavam o solstício do inverno e a época da fartura agrícola, mas foram com os franceses que vieram parar aqui os primeiros passos das quadrilhas. Outras tradições e culturas foram trazidas dos portugueses e do milho e da mandioca aprendemos muitos pratos dos indígenas e africanos. Dizem até que o nome forró veio dos americanos dos Estados Unidos.

Quadrilha Apae 5 - Cópia

Bem, foi um “nariz de cera” até necessário para dizer que, infelizmente, toda esta linda história e suas tradições culturais estão se acabando com o tempo, numa espécie de ave em extinção. Nas cidades são poucas as fogueiras e o forró virou axé, pagode, lambada e arrocha nas mãos irresponsáveis dos prefeitos que só querem ver muita gente na praça e o cantor no palco citando o nome dele bem alto. As bebidas (licor, quentão) e as comidas de milho e derivados de mandioca praticamente desapareceram das praças e salões.

Há muito tempo que venho denunciando a descaracterização criminosa do nosso São João, a maior festa e um dos maiores patrimônios culturais do povo nordestino. Digo criminosa porque a maioria dos prefeitos gasta milhões do nosso dinheiro, contratando artistas e bandas que nada têm a ver com o forró pé de serra, com raras exceções de algumas prefeituras como as de Vitória da Conquista, Piritiba e outras.

:: LEIA MAIS »

CURTA AS CURTAS

A COPA E A EMBASA

Desde os tempos da criação da Sudene, na década de 60, que já se falava na construção de uma barragem no rio Pardo (imediações de Inhobim) para abastecer Vitória da Conquista e região. São mais de 50 anos e o projeto não saiu do papel. Com a seca e o baixo nível das barragens de Água Fria I e II, em Barra do Choça, a população sofreu com o duro racionamento da Embasa. Aí o governo fez uma adutora no rio Catolé, mas a situação continua vexatória. Na semana passada, vários bairros ficaram dias sem o precioso líquido.

Nesse meio, o governo do estado anunciou a construção de uma barragem definitiva para resolver o problema, só que a diretoria da Embasa já avisou que o projeto deve durar uns cinco anos para ficar pronto. Quando ela diz isso é porque o tempo será o dobro, mas o estádio da Fonte Nova para receber jogos da Copa foi erguido em menos de dois anos. Ainda pedem para o torcedor ter calma e ser bem comportado! Até aonde vai o desrespeito para com o povo?

EMBASA 005 - Cópia

É uma vergonha a terceira maior cidade baiana passar por esse aperto de escassez de água, sem contar que o aeroporto mais parece com um galpão. Conquista carece de grandes projetos de infraestrutura para atrair investimentos de fora e dar continuidade ao seu desenvolvimento. O mais engraçado é que em 2012/13 um grupo de empresários se reuniu várias vezes para que a cidade fosse escolhida como subsede dos jogos da Copa! Sem água, sem aeroporto e estrutura de um centro de treinamento? Quando se fala nessas coisas, tem gente que torce a cara.

:: LEIA MAIS »

UMA CONQUISTA ANUNCIADA -Carlos Gonzalez – jornalista

A dúvida deixou de existir. Hoje já se pode anunciar que a Copa do Mundo de 2014 ficará no Brasil. O primeiro indício se manifestou nos erros cometidos pelo árbitro japonês Yuichi Nishimura, ao se tornar o 13º jogador do Brasil na vitória sobre a Croácia. Infectados pelo vírus da corrupção, futebol e política firmaram uma sólida aliança neste país, que leva o torcedor consciente a “jogar todas suas fichas” no time dirigido pelo “sargentão” Felipão, a única pessoa que viu o pênalti em Fred.

Nas 19 edições da Copa alguns fatores, nada convencionais, influíram no resultado final da competição. Em 1954, a Hungria, vítima da guerra fria, que separava, desde o final da II Grande Guerra, em 1954, as zonas sobre influência dos Estados Unidos e da União Soviética, foi ilicitamente derrotada pela Alemanha Ocidental; em 1962, Garrincha disputou a final contra a Tchecoslováquia, tendo sido expulso na semifinal diante do Chile; em 1966, os alemães ocidentais tiveram um gol não computado na final com a Inglaterra; em 1978, a ditadura argentina foi decisiva na conquista da seleção do país; em 1994, sob a presidência de João Havelange, a FIFA excluiu Maradona no meio da competição, facilitando a vitória brasileira.

O envolvimento da FIFA em ações de corrupção ocupa hoje boa parte do espaço que a imprensa dedica ao futebol. Com 110 anos de criada, a entidade teve apenas oito presidentes, sendo que alguns deles se perpetuaram no poder, uma prática inescrupulosa, acompanhada por confederações e federações esportivas no Brasil, a exemplo da CBF, do COB e da Federação Baiana de Futebol (FBF), cujos “cartolas” se mantêm nos cargos, distribuindo benesses com seus filiados.

:: LEIA MAIS »

JOGA LIMPO BRASIL!

A abertura da Copa do Mundo na arena do Corinthians, em São Paulo, foi vergonhosa, para não dizer ridícula e mixuruca, com umas dancinhas de samba, frevo e uma apresentação de capoeira.  A grande mídia que só visa a audiência e o lucro fala em espetáculo lindíssimo. Engana que eu gosto!

O povo aplaude e segue na onda da pobreza artística e cultural. A baiana Claudia Leite soltava beijinhos pra todos os lados e tudo fez para se aparecer no show que não foi teve nada de show. Parece que o Brasil não tem história pra contar. O que se viu foi um tremendo vazio no campo.

O pior veio no jogo de abertura onde a seleção brasileira foi apagada e precisou de um empurrão do juiz para vencer de 3 x 1 contra a Croácia. Foi o mesmo juiz que apitou Brasil e Holanda em 2010, na África do Sul, e expulsou o bronco do lateral Felipe por uma pisada no adversário. Dessa vez, Neymar deu uma estúpida cotovelada e só recebeu um cartão amarelo.

Lá na frente, no segundo tempo, novamente o juiz marcou uma falta no goleiro Júlio César que não houve. O Fred, que nada jogou, precisou apenas cair na área para o juizinho marcar um pênalti que não aconteceu. Joga limpo Brasil! A primeira impressão é que a seleção vai precisar do esquema da Fifa para chegar à final da competição porque a estreia foi feia demais.

Sem questionar a qualidade, a mídia vai fazendo seu show acrobático circense para satisfazer os prazeres dos patrocinadores, e os torcedores entram no embalo da festa e nem querem saber se o jogo foi limpo, ou não. Não importa aqui se o adversário foi, ou não garfado, mas até quando e até quanto tempo o torcedor vai ser enganado?

A seleção, que pegou uma das chaves mais fracas da Copa, pode até melhorar nos próximos jogos (já está classificada para a outra fase), mas pela apresentação na abertura não leva fé chegar à final, a não ser que tenha um empurrão dos juízes via Fifa. É muito vergonhoso! Que saudades dos craques de 1958, 62 e 70! Joga limpo Brasil!

 

SOBRE NOSSAS FERROVIAS (V)

LINHA PROVINCIAL

No decorrer do ano de 1879 a Companhia volta a sofrer outras dificuldades financeiras na contratação do trecho Onha – Santo Antônio de Jesus. Apesar dos problemas, em 7 de setembro de 1880 foram inauguradas várias estações, inclusive a de Santo Antônio de Jesus no quilômetro 33,746 a partir da Estação de Nazaré, passando a ser conhecida como Linha Provincial.

De fabricação francesa, o trem inaugural foi puxado pela locomotiva Lucena (número 3) em homenagem ao presidente da Província Henrique Pereira de Lucena, ou Barão de Lucena. Após oito anos de situação difícil, termina sendo constituída a Tram-Road Nazaré (linha Nazaré – Santo Antônio).

Como não conseguiu superar a crise, a Companhia requereu da Assembléia Legislativa, em março de 1882, a dispensa de pagamento de juros de 7% ao ano. A Assembléia aprovou, mas o presidente da Província, Pedro Luis Pereira de Souza vetou. Em 1884, com a entrega de 2.500 ações, a Companhia liquida seu débito com a Província que passa a ser a acionista do projeto.

Rodovia pela Ferrovia - Cópia

 

:: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia