Um dos poemas inéditos do jornalista e escritor Jeremias Macário

Podem me criticar!

Podem me criticar!

Faça sua arte de lá,

Que eu faço a minha de cá,

Cada um com seu estilo,

Ameno, radical ou sarcástico,

Tanto que traça sua parte,

Nessa sociedade de plástico.

 

Podem me criticar!

Do meu jeito de ver o mar,

De olhar a linha do horizonte,

Sem essa do errado e do certo,

Cada um construindo sua ponte,

Na solidão desse árido deserto,

Com sua forma de pensar.

 

Podem me criticar!

Sem o seu ódio intolerante,

Que defendo a sua canção,

Não importa o ritmo e a melodia,

Respeite minha pena rasgante,

Cada obra tem seu toque de poesia,

De amor, da cidade ou do sertão.

 

Podem me criticar!

Sigo a minha estradeira guerreira,

Você segue a sua de lá,

E cada um em seu lugar.