outubro 2020
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

:: 26/out/2020 . 23:44

AS LÍNGUAS SEMÍTICAS E A AFRO-ASIÁTICA

De acordo com estudiosos, as línguas semíticas formam apenas uma das seis ou mais ramificações de uma família de línguas muito maior que é a afro-asiática, localizadas na África. A própria subfamília semítica é africana (12 de suas 19 línguas sobreviventes estão restritas à Etiópia). As línguas afro-asiáticas surgiram na África.

Segundo o autor do livro “Armas, Germes e Aço”, Jared Diamond, talvez tenham surgido na África as línguas faladas pelos autores do Velho e do Novo Testamento e do Alcorão, os pilares morais da civilização ocidental, com as três maiores religiões cristã, judaica e islã.

SEM LÍNGUAS DISTINTAS

Destaca o cientista que, entre os cinco grupos africanos (negros, brancos, pigmeus, coissãs e indonésio), apenas os pigmeus não têm línguas distintas. O local de suas origens foi tomado por agricultores invasores, cujas línguas foram adotadas por pigmeus sobreviventes. O mesmo ocorreu com os negritos malaios e filipinos, que adotaram línguas austro-asiáticas e austronésia.

Muitos falantes dessas línguas, conforme seus estudos, foram subjugados por falantes das línguas afro-asiática, ou nigero-congoleses. As coissãs ficaram restritas à África meridional. Os coissãs e suas línguas, antes espalhados no extremo norte de sua atual distribuição na África, assim como os pigmeus, foram também subjugados pelos negros e deixaram legados apenas linguísticos de suas presenças.

A família linguística nigero-congolesa está em toda África Ocidental e pela maior parte da África subequatorial, não oferecendo nenhum indício do lugar onde a família se originou. No entanto, um pesquisador reconheceu que todas as línguas nigero-congolesas da África subequatorial pertencem a um único subgrupo chamado de banto, que abrange quase a metade das 1.032 línguas nigero-congolesa e mais da metade de seus falantes.

As línguas bantas mais características, e as não bantas acumulam-se na área de Camarões e da Nigéria Oriental. Todos esses dialetos ingleses, na concepção de Diamond, foram apenas um subgrupo de ordem inferior da família de línguas germânicas. Os demais subgrupos (escandinavas, alemãs e holandesa) aglomeram-se no noroeste da Europa. O inglês surgiu dessa localidade, e de lá espalhou-se pelo mundo.

Registros históricos dão conta que o inglês foi realmente levado de lá para a Inglaterra por invasores anglo-saxões nos séculos V e VI. Nessa linha de raciocínio, os quase 200 milhões de bantos, praticamente expulsos do mapa da África, surgiram em Camarões e na Nigéria. No passado, a área ocupada por pigmeus e coissãs era bem mais ampla, até serem dominados pelos negros.

QUANDO OS EUROPEUS CHEGARAM

A produção de alimentos resultou em altas densidades demográficas, germes, tecnologia, organização política e outros ingredientes do poder. Quando os europeus chegaram à África subsaariana, nos anos 1400, os africanos estavam desenvolvendo cinco grupos de culturas agrícolas, cada qual cheia de significados para a história desse povo.

:: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia