Depois de pegar no pesado durante todo dia de trabalho, puxando carroça pra e pra cá, felizmente ele teve seu descanso merecido e saiu por aí até encontrar sua refeição sossegada num terreno vazio, com muito capim nesses tempos chuvosos. Ainda tem gente, inclusive carroceiros ingratos e brutos, que praticam agressões e surram animais fazendo pegar peso e trabalhar além do seu limite. Como ele, o burro, seu irmão jumento, também sofre e ainda está sendo levado ao matadouro para servir de carne e pele para os chineses. São animais em extinção que já ajudaram muito o homem, principalmente o sertanejo nordestino, no sustento da família. É muita ingratidão. Este a pastar foi um flagrante do jornalista Jeremias Macário que, com sua máquina, clicou sua bela refeição do dia. Ninguém sabe do seu dono, mas o bom é que naquele momento ele estava se sentindo livre e à vontade.