maio 2020
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

:: 13/maio/2020 . 0:24

INVERNO CHEGA CEDO EM CONQUISTA E O BRASIL VAI AOS TRANCOS E BARRANCOS

Desde o início dos anos 90 quando aqui cheguei, nunca mais vi um inverno chegar em Vitória da Conquista entre abril e maio, mas sempre atrasado entre julho e agosto. Alguns fenômenos da natureza explicam essa mudança, segundo os especialistas em meteorologia, mas o coronavírus, por incrível que pareça, pode ter contribuído para essa antecipação.

Dizem por aí que existem males que trazem bem. Quer queiram, quer não, o isolamento social (nem tanto), o menor número de carros circulando nas ruas e a queda no consumismo de produtos supérfluos por causa da Covid-19 ajudou o meio ambiente, com a redução da poluição através de menos gases tóxicos no ar. A natureza agradece, se bem que, por outro lado, o vírus já provocou um tremendo estrago com milhões de mortes no planeta.

Imagens fúnebres e macabras

Não é apenas desse assunto positivo que pretendo tratar. Se nossos noticiários, principalmente na televisão, já nos deixavam estressados com tantas informações negativas no Brasil, começando pela violência e os escândalos diários no governo federal, agora com o coronavírus pioraram e só se ouve reportagens e se vê imagens fúnebres, macabras e tristes.

O noticiário do Jornal Nacional da Rede Globo, por exemplo, foi dividido em duas partes. Uma que relata o número de mortes, cemitérios cheios, baixando caixões em covas coletivas, e pessoas, a maioria pobre, de menor poder aquisitivo (isso já era esperado), se rasgando em choros, em cenas de partir o coração. O Jornal conta histórias das vítimas, exibidas nos lares, que levam muitos à depressão. Parece que estamos num cenário do Inferno de Dante.

A outra parte se refere ao capitão-presidente Bozó, com suas truculências, arrogâncias e descomposturas, com palavras atacando jornalistas, adversários, minorias e até dando uma banana para a nação. Chamam ele de louco, maníaco, de um Nero romano, mas sua intenção de decretar uma intervenção militar no país está bem clara.

Sinceramente, não aguento mais bater nessa questão, mas não podemos ser omissos e nos silenciar. Em sua estratégia, o cara fala em democracia, mas quer mesmo é a ditadura. Sua seguidora Damares, da Cidadania e Direitos Humanos (que ironia!), pede prisão dos governadores e prefeitos que não são genocidas como eles.

O desconhecido descompensado como seu chefe, o ministro da Educação, que está anunciando a prova do Enem em meio à pandemia que já ultrapassa vários países, defende a prisão do Supremo Tribunal Federal. E assim vai o Brasil nesse lamento profundo, como se fosse um carro velho empurrado aos trancos e barrancos. No momento, não está pegando nem na descida da ladeira. O povo leva chutes e porradas num longo corredor polonês que não tem fim.

Aqui em nossa terrinha, com muita gente nas ruas e muitos casos do corona, o frio chegou pra valer, registrando 13 graus à noite, e pode descer ainda mais. Nesse rigor, para não variar, os pobres são os que mais sofrem em seus barracos de tábuas e zincos apertados nas encostas da Serra.

Além do inverno, ainda temos que conviver com um índice da dengue acima do normal, e vem aí o aumento de problemas respiratórios. Haja oração e preces! Os homens cometem suas perversidades e atrocidades e depois apelam para Deus. Tem fanáticos religiosos que dizem que tudo isso é castigo Dele, como se fosse um vingador do futuro.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia