No árido do sertão de pedregulhos e garranchos cinzentos, só o mandacaru ainda é o sobrevivente da bonita e triste paisagem. Muitos abandonam a terra no tempo da sequidão na procura do sustento para a família em outras paragens. Os governos e políticos prometem melhoras, mas tudo continua no mesmo tempo de séculos passados. O sertanejo sofre, ora ao Supremo Senhor e vai vivendo, ou vegetando como pode, olhando sempre aos céus quando a chuva virá para molhar o chão e plantar suas lavouras, muitas vezes perdidas com a estiagem. Ele é enganado até pelo tempo. Esqueceram dele aqui nesta terra de ninguém, ou aliás, só deles, os coronéis do poder. A imagem é mais um flagrante nas andanças do jornalista Jeremias Macário; Na caatinga é sempre assim há mais de 500 anos.