Poema de autoria do jornalista Jeremias Macário

Ainda existe

processo sem prisão,

a tortura sem história,

corrupção com vitória,

o crime que compensa,

a manipulação da imprensa,

o sonho feito de cristais,

como promessas sagradas

dos amantes e dos casais.

 

Ainda existe

a vergonha da esmola,

a escola sem lição,

país sem educação,

criança sem livro,

rei fajuto de camisola,

a justiça da pistola,

o cruel capital,

o empreiteiro pardal,

o ladrão de gravata

o coronel da chibata,

o amolador de navalha,

o ferreiro do fole

e o político canalha.

 

Não existe

relógio sem hora,

piora sem melhora,

cordel sem rima,

cantador sem viola,

presente sem passado,

chato que não amola,

sandália sem poeira,

cavalo sem crina,

cidade sem feira

país sem hino,

nem vida sem sina,

romaria sem peregrino,

e criatura sem destino.