Uma “fábrica de multas” de  trânsito foi como a maior parte dos vereadores de Vitória da Conquista classificou a ação da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Mobilidade Urbana, alvo de duras críticas na sessão de ontem (dia 28/08), que também questionou a precarização na saúde, para eles, um estado lamentável no atendimento e na falta de medicamentos.

O primeiro a levantar o tema das multas foi o cidadão Romeu dos Santos, que, ao usar a Tribuna Livre,  considerou um absurdo o que vem ocorrendo na cidade, uma vez, segundo ele, que o próprio secretário de Mobilidade Urbana declarou que iria dobrar a arrecadação das multas para fazer caixa. Ele condenou o procedimento, ao invés de procurar educar os motoristas.

MULTAS E SAÚDE

Os vereadores Valdemir Dias, Fernando Vasconcelos, Márcia Viviane e David Salomão foram na mesma linha das multas cobradas pela Prefeitura, entendendo ser uma prática absurda. Dias e Viviane afirmaram que o assunto é recorrente na cidade, citando que o mais grave é que a Secretaria faz de tudo para impedir a defesa do “infrator”.

Viviane foi mais além, assinalando que a prática tem sido corriqueira e arbitrária.  Valdemir, por sua vez, tratou de outros temas como da saúde, da falta de um centro de zoonoses em Conquista, do troca-troca de chefias e secretários no atual poder executivo. “Na administração não se deve admitir amadorismos”.

Outro a ocupar a Tribuna Livre foi o ex-vereador Antônio Carlos “Babão” que preferiu falar do problema da saúde no município, afirmando que há três meses o Posto de Saúde do Bairro Ibirapuera não tem remédio e nem internet. De acordo com ele, a saúde de Conquista está “doente”, e tem lugares que não contam com água e lenço.

Também, o vereador Danilo “Kiribamba” tratou da questão da saúde, denunciando que há meses a Prefeitura Municipal não fornece passagens para crianças com problemas se tratarem fora do município. Seu colega Cícero Dantas, destacou que a saúde nos postos está precária, apontando existir muita demora e burocracia na marcação das consultas.

“Kiribamba” ainda criticou o Governo do Estado que retirou o SAC do Shopping Conquista Sul para o Bulevar Shopping, e apelou para que seja instalada uma unidade de atendimento ao cidadão também no Bairro Brasil.

Esta proposição foi acompanhada de outros colegas da Câmara, como da vereadora Lúcia Rocha, que condenou o que ela chamou de desmonte do SAC, no lugar de criar novos postos para facilitar a demanda da população.

O parlamentar, Álvaro Phiton, o decano da Casa, ao esclarecer o seu voto, na sessão passada, com relação ao projeto de proibir as blitz na cidade, juntamente com outros 16 votantes, disse ter votado contra por se tratar de um assunto do âmbito estadual, mas se posicionou contrário à apreensão de veículos quando o dono está em atraso com o IPVA, comprando ao IPTU onde a prefeitura não pode tomar a casa da pessoa quando esta deixa de pagar a taxa. Álvaro concorda com as blitz quando são feitas para pender ladrões

CPI dos Combustíveis

O parlamentar Coriolano Moraes preferiu falar do andamento da CPI dos combustíveis, para apurar o abuso cobrado pelos postos de gasolina. Adiantou que a Comissão está fazendo uma comparação, ou perfil, nos preços entre Jequié até a Divisa com Minas Gerais, de Itapetinga até Aracatu para avaliar os custos nas bombas em Vitória da Conquista. Prometeu concluir o relatório em duas semanas.

Com seus costumeiros tapas na mesa, David Salomão fez veemente desabafo de que existe um cartel dos combustíveis em Conquista, e que não tem medo em denunciar os responsáveis, chamando-os de canalhas a quem se opôs ao seu projeto de proibir as blitz em Conquista, com o argumento de ser inconstitucional.

Por fim, falaram os parlamentares Luís Carlos Dudé e Edvaldo Ferreira sobre as obras realizadas pelo Prefeitura Municipal, como as praças e outros serviços entregues à comunidade. Dudé elogiou os serviços prestados ao município pelo professor Itamar Aguiar que estava presente na plenária. Como líder do governo na Câmara, Ferreira aproveitou a palavra para apresentar um resumido relatório das atividades do atual executivo e suas ações no legislativo.