novembro 2018
D S T Q Q S S
« out   dez »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

:: 2/nov/2018 . 23:59

UMA DATA ESQUECIDA NO PAÍS QUE JOGOU A CULTURA NO LIXO

Ouvi por aí, lendo em algum lugar, que um bom texto é como uma canção harmoniosa e suave que encanta os ouvidos. Acrescento que é como ouvir o canto do cancioneiro quando ele e sua viola estão bem afinados. Assim como o violeiro, o violinista, o pianista e o saxofonista numa orquestra, o bom texto acalma a alma, mesmo do mais ímpio. Em sua essência, o leitor lê o livro, ou é o livro quem lê o leitor?

Ao falar do texto de uma matéria jornalística, de um artigo, de um comentário opinativo ou interpretativo, de uma tese de mestrado, de uma redação do Enem que virou outro vestibular, a intenção foi fazer uma caminhada até o livro, não importando o gênero. Este personagem tão nobre e velho distinto, mais uma vez passou esquecido em sua data nacional comemorativa no dia 29 de outubro, e logo em meio ao voto do ódio e da intolerância política.

Nestes momentos conturbados de tantas crises, que falta ele faz para clarear nossas mentes numa direção mais sensata e de lucidez! Ainda nesta semana, li um comentário do escritor Luiz Carlos Amorim num jornal em que dizia ser o livro o guardião da história da humanidade. O receptáculo de toda inteligência e criatividade do homem. A tristeza é que ele não seja tão popular quanto deveria, pelo menos no Brasil.

Diria que se ele fosse mais lido, reverenciado e apreciado, nossa sociedade seria mais humana, menos violenta, mais ética e mais respeitosa com os outros. Luiz Carlos fala que ele ainda é caro e aponta como alternativas as bibliotecas e os sebos. Da minha parte, entendo que a questão não é ser caro, mas a falta de hábito por culpa dos governantes que nunca priorizaram a educação. Deixaram o povo nas trevas e não vejo perspectivas de luz no fim do túnel.

O escritor fala dos e-books (o livro eletrônico) e os e-readers que estão se popularizando e têm uma pequena legião de seguidores. Não vai muito longe disso e, infelizmente, não vejo nisso nenhuma revolução cultural. O público do digital é inexpressivo, ao contrário do que previa os “futuristas” quando surgiu o computador. Quem não tem o costume de ler, não utiliza o eletrônico nem o livro de papel, ou o impresso. Esta é a minha opinião.

Por tocar no assunto, o livro de papel nunca deixará de existir, mas alguns insistem que ele terá seu fim com a evolução da internet. Acredito, no entanto, que não é a tecnologia da informática que vai intensificar o hábito da leitura, nem o audiolivro. Sem uma educação de qualidade e uma política de incentivo à cultura, vamos continuar sendo um dos priores leitores do planeta, bem abaixo de muitos países latinos. Nunca ganhamos um Nobel da Literatura, apesar de grandes autores.

Monteiro Lobato já dizia que um país se constrói com homens e livros. Ainda está longe de isso acontecer. Temos mais de 200 milhões de habitantes com poucos livros nas mãos. O professor Walber Gonçalves de Souza escreveu certo dia que somos uma nação de pouquíssimos leitores, uma média de livros lidos por pessoa bem abaixo daquilo que deveria ser um padrão aceitável em relação aos países desenvolvidos.

Ele lembra que os índices nacionais e mundiais que apontam a qualidade da nossa educação, sempre colocam o Brasil numa posição vergonhosa e triste. Uma pesquisa detectou que a maioria dos professores não incentiva seus alunos a serem docentes. Os motivos são vários, como falta de reconhecimento social, condições de trabalho, indisciplina dos alunos, entre outros. A sociedade prefere manter-se na ignorância e na obscuridade. Não quer saber do conhecimento. Prefere o fútil consumismo.

Walber faz uma Alegoria da Caverna de Platão, dizendo que nossa sociedade dá sinais de que prefere manter-se no mais profundo breu das cavernas e disposta a matar quem desejar apresentar a luz. Ser professor virou chacota e descaso por parte das políticas públicas. Transformou-se em profissão medíocre que não atrai jovens. O melhor mesmo é cultivar a ignorância.

:: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia